20 de março de 2017

AUSTRÁLIA - 17

Começa neste final de semana em Melbourne, na Austrália, a 68ª  temporada da F-1.

Por tudo o que se viu na pré-temporada, ainda que exista uma certa expectativa sobre o desempenho a ser apresentado pela Ferrari, no circuito de Albert Park, arriscaria dizer que a Mercedes ainda segue como favorita. Talvez com uma vantagem menor sobre a Ferrari,  talvez... Ainda assim, estará a frente.

Williams e Red Bull deverão duelar pelo posto de terceira força neste início de Mundial. Ainda que a equipe inglesa tenha apresentado performance superior durante os treinos realizados na Espanha, espera-se uma melhora substancial da equipe rubro-taurina em Melbourne. E nunca é demais lembrar Adrian Newey é a cabeça por trás do exército de projetistas da Red Bull.

Um pouco abaixo aparecem Force India, Hass, Renault e Toro Rosso. Nos oito dias de testes da pré-temporada, as quatro escuderias apresentaram desempenhos muito próximos. A briga no pelotão intermediário promete ser interessante. A escuderia que conseguir adaptar mais rapidamente sua máquina as condições da pista australiana, levará vantagem.

Bem mais atrás aparecem Sauber e McLaren. A equipe helvética não tem muitas pretensões. Os suíços apostam suas fichas na confiabilidade da sua unidade de potência para quem sabe, com muita sorte, terminar a corrida a zona de pontos. O que não será nada fácil, diga-se.

Já a equipe inglesa vive seu inferno astral com a Honda. Passadas duas temporadas desde seu retorno as pistas, os japoneses parecem ter conseguido o impossível. Andaram para trás. Só para ilustrar o tamanho da encrenca, circula a informação que a McLaren chegou a consultar a Mercedes sobre a possibilidade de utilizar ainda nesse ano a unidade de potência alemã. Por falta de caixa, a substituição da motorização não deverá acontecer. Ainda que o time inglês exercesse a cláusula de performance para romper o contrato, a saída dos japoneses significaria um buraco de US$ 90 milhões no orçamento do time inglês, dinheiro esse que a McLaren não tem disponível.

Algumas curiosidades sobre Melbourne...

- Será o 22º GP a ser realizado no circuito de Albert Park. De 1985 a 1995 o GP da Austrália aconteceu nas ruas de Adelaide;

- O maior vencedor é Michael Schumacher, com quatro triunfos; entre os pilotos em atividade, Lewis Hamilton e Kimi Raikonnen, lideram nesse quesito, com duas vitórias;

- Até agora, nenhum piloto brasileiro subiu ao degrau mais alto, em Melbourne; Senna e Piquet venceram em Adelaide;

- Nos últimos nove anos, em oito oportunidades o Safety Car foi acionado.

Ilustrando o post, Ayrton Senna e Keke Rosberg duelando em Adelaide - 1985


2 comentários:

Anônimo disse...


. Essa, da Mac Mac com a Mercedoca, não acredito. Inglês não faz isso, principalmente contra os japonenses. Muita coisa em jogo além de Mac Mac, Mercedoca e TádeOnda. Pode ter sido espanhol inventando coisas e jogando na imprensa. Neguin desavisado 'comprando'... Desinformação é assim mesmo. Os 90 milhões de doletas devem ser verdade mas a consulta deve ser para o próximo ano. Nesse ano, não. Bom, veremos. Darei minha cara a tapa. Ou comerei 3 salsichas Çadia se a Honda for embora antes do final da temporrada.

. A paixão. Bom, vendo a foto, lembro que Keijo venceu a corrida e Saudoso Tiozão teve o motor quebradão. O Renault Gordini. Gordini... ha.



M.C.L.

Diogo Draeger disse...

Seravq a FIA nao pode criar uma f1 legends com esses carros...ou pelo menos com a carenagem pintada como os da decada de 80... pista d adelaide muito melhor q melbourne... com aquelas zebras quebra molas e especie de rampa