8 de maio de 2011

GP da Turquia - Pitacos da corrida



Não tem jeito, mesmo praticamente sem treinar na sexta-feira, Sebastian Vettel foi lá no sábado e cravou a pole, com sobras diga-se.

Na corrida, partindo da posição de honra, Sebastian Vettel não encontrou a menor resistencia para vencer mais uma vez na atual temporada,a terceira vitória em quatro corridas. Foi mais um passeio dominical.

Como disse no post abaixo, o alemãozinho caminha a passos largos em busca do bicampeonato. Será que alguém ainda duvida? Será que continuam a duvidar de seu talento? O garoto é  um verdadeiro fenômeno, e não me venham falar do carro, pois Webber tem o mesmo equipamento nas mãos e não faz um terço...

Apesar do dominio de Sebastian Vettel, a corrida esteve longe de ser monótona, pelo contrário, a ação foi intensa o tempo todo, obviamente do segundo lugar para baixo.

A dupla da McLaren travou um belo embate durante muitas voltas, Rosberg e Massa também protagonizaram pegas eletrizantes, Kamui Kobayashi abriu caminho a ferro e fogo, Schumacher lutou com Barrichello e Petrov. O russo, aliás, degladiou-se com o parceiro Heidfeld. Ainda aconteceu a luta entre Webber e Alonso no meio e no fim da prova pelo segundo lugar, sem contar uma infinidade de brigas na segunda e terceira divisões, enfim a corrida foi bem movimentada.

É verdade que essas lutas aconteceram mais uma vez graças aos pneus que viram farofa e a asa traseira móvel. Foram realizadas 82 paradas para trocar pneus, o novo recorde mundial provavelmente...

Pode não ser o ideal para aqueles que apreciam o automobilismo em sua forma mais pura, sem artificialismos, mas como disse antes, pelo menos as corridas estão divertidas. Observe que foram três corridas realizadas nas pista horrendas desenhadas por Herman Tilke, e todas foram boas, um verdadeiro milagre. Basta rever as provas do ano passado nestas pistas e comprovar a diferença.

Voltando a corrida, a Ferrari foi realmente surpreendente hoje. El Fódon de Las Asturias, dessa vez largou muito bem. Para quem se arrastava nos treinos, conseguiu manter um excelente ritmo de corrida, na mesma balada da Red Bull de Mark Webber, comprovando que o grande problema dos carros de Maranello é a classificação.
Alonso conquistou o primeiro pódio do ano para a equipe italiana, de quebra consegue serenar um pouco os ânimos que começavam a se exaltar na equipe e na mídia com o fraco inicio de campeonato.

Na outra ponta Felipe Massa acabou fora da zona de pontos, chegou apenas na 11º posição.

O brazuca partindo da décima posição no grid, largou bem e começou a se recuperar na corrida. Em poucas voltas estava na quinta posição. É licito dizer que Massa foi atrapalhado pela equipe numa de suas inúmeras visitas aos boxes, além de perder segundos preciosos com as trocas demoradas da Ferrari.
Mas é preciso reconhecer também que Felipe Massa empaca atrás de adversários mais lentos por muitas voltas, mesmo com o carro mais rápido ele demora muito para abrir passagem, e com isso acaba distante dos ponteiros. Hoje para piorar, acabou escapando da pista, e atirou pela janela qualquer chance de pontuar.

Pelas bandas da Lotus Renault, a equipe conseguiu levar seus dois carros aos pontos. Se não foi aquela maravilha, ao menos foram consistentes a prova inteira. Ao contrário da Mercedes, que começou bem e terminou mal. Rosberguinho ainda trouxe algum brilho ao protagonizar belos duelos, parecia que dessa vez o pódio seria possivel, mas o carro ainda consome pneus vorazmente. Ainda assim, Rosberguinho salvou um quinto lugar.

Já Michael Schumacher, teve uma atuação vexatória hoje. O multicampeão fez uma corrida estabanada, se envolveu em acidentes toscos, tomou ultrapassagens as pencas. Nem parecia aquele piloto experiente e dono de uma fileira de titulos Mundiais. O tempo parece estar pesando e muito para o velho alemão, afinal de contas boa parte do grid tem praticamente metade de sua idade.

Quem também ficou devendo hoje foi a McLaren. Lewis Hamilton fez a sua parte, mas um erro da equipe nos boxes acabou comprometendo toda sua corrida, no fim teve que se contentar com o quarto lugar. Jenson Button foi mais um que entrou pelo cano quando optou por uma parada a menos. Não havia a menor chance de se manter rápido o suficiente extendendo a vida dos pneus por três ou quatro voltas, pagou o preço pelo escolha equivocada e terminou a corrida apenas na sexta colocação.

No Mundial de pilotos, Sebastian Vettel soma 93 pontos, contra 59 de Lewis Hamilton, o segundo colocado. Jenson Button com 46 pontos aparece na terceira posição e Fernando Alonso é o quarto com 41.

No campeonato de Construtores, Red Bull lidera com 148 pontos, McLaren soma 105 pontos e a Ferrari tem apenas 65 pontos.

3 comentários:

Marcos Antônio disse...

ninguém segura o Vettel! vai ser difícil superá-lo...

Net Esportes disse...

ou seja, tudo tem causado grandes emoções, muitas ultrapassagens e tudo mais .... só que lá atrás .... na frente há um domínio absoluto, fazendo a F1 desse ano muito mais monótona do que a do ano passado, já não existe mais qualquer chance de quatro pilotos brigarem pelo título na última corrida ....

orlando disse...

Apenas pra acrescentar:
Koba-san,saiu em ultimo e “Antes da corrida, tinha prometido ao Peter (Sauber) marcar pontos ” e cumpriu.
Abçs.