20 de junho de 2018

24H LE MANS

Em tempos de Copa do Mundo o blog fica em stand by...

De todo modo, ainda que com atraso, mas para deixar devidamente registrado neste humilde espaço, a conquista de Fernando Alonso e toda equipe da Toyota em Le Mans.

Ainda que muitos insistam em diminuir o valor da vitória na tradicionalíssima prova de Endurance, pelo fato de Porsche e Audi não estarem mais fazendo parte do campeonato, é preciso reconhecer toda a dedicação e empenho da Toyota em atingir esse objetivo. 

Os japoneses perseguiam essa conquista há muito tempo. Bateram na trave ano passado e nesse ano, quis o destino que Fernando Alonso fizesse parte desse time com Buemi e Nakajima, para subir ao degrau mais alto do pódio.

Agora falta ao espanhol conquistar Indianapolis para buscar a tão sonhada Tríplice Coroa e igualar Graham Hill. Até aqui, o único piloto da história a vencer em Le Mans, Indianapolis e Mônaco. Algo me diz que ele não irá sossegar até conquistar.


6 de junho de 2018

IMAGENS HISTÓRICAS

Renault, Brabham e McLaren, em Monza - 1984.

                                                    CLIQUE PARA AMPLIAR

5 de junho de 2018

NO TÚNEL DO TEMPO



Largada para o GP da França de 1989, circuito de Paul Ricard. De certa forma, Mauricio Gugelmim foi o protagonista da corrida.

Antes da primeira curva, o March do brasileiro é tocado na traseira, na sequência bate no carro da frente e decola num voo assustador sobre outros dez bólidos. 

O carro havia virado sucata, mas o piloto estava vivo. Gugelmim não conseguia acreditar no que havia acontecido...



O brasileiro correu até os boxes, pegou o carro carro reserva e saiu para nova largada que aconteceria minutos depois. No fim das contas, Gugelmin acabou realizando uma bela corrida, com direito a melhor volta da prova, mas abandonou a oito voltas do final.


Por fim um detalhe chamou a atenção de todas as equipes. As imagens da March de ponta cabeça, revelaram um detalhe interessante, uma entrada de ar sob o bico. 

Dispositivo esse que  permitia um downforce extra ao carro. Uma ideia simples e ao mesmo tempo genial. Evidentemente logo copiada pelas demais escuderias. O projetista desse carro? O genial Adrian Newey.

24 de maio de 2018

F1 SEM MIMIMI

Entre 1973 e 1978, o circuito sueco de Anderstorp, fez parte do calendário da F1. Numa área com uma simples cobertura e, com duas ou três tomadas, as equipes se instalavam.

22 de maio de 2018

NO TÚNEL DO TEMPO

Por mais incrível que possa parecer aos mais jovens, houve um tempo no qual haviam carros com linhas harmônicas, com um colorido único e, tudo era muito mais simples na F1.  Ah sim, e ainda por cima, podíamos nos dar ao luxo de escolher para qual piloto brasileiro torcer.

Na imagem acima, o catarinense Mauricio Gugelmim com a March - GP da Hungria 1988.

21 de maio de 2018

IMAGENS HISTÓRICAS - REGULARIDADE

Ainda que Nigel Mansell tenha anotado seis vitórias contra três de Nelson Piquet, em 1987, a regularidade e a experiência do piloto brasileiro fez toda a diferença. Foi a bordo da icônica Williams FW11B, que Nelson Piquet conquistou seu terceiro Mundial.

15 de maio de 2018

ESPANHA 18 - PITACOS PÓS GP

A corrida em terras espanholas seguiu o padrão das provas realizadas na Catalunya, um tédio sem fim.

Tirando a cagada monstruosa protagonizada por Romain Grosjean que perdeu a traseira do carro na curva 3, logo após a largada, e tentou voltar no meio do pelotão dando zerinho, nada de mais relevante aconteceu em Montmeló. Já com relação ao ocorrido, por muito pouco não houve um acidente de graves proporções. E no fim das contas, o piloto francês acabou punido com a perda de três posições na próxima etapa, em Monte Carlo. Punição ridícula, diga-se. 

No mais o que se viu foi um domínio avassalador da Mercedes, que enfim, conseguiu colocar a Ferrari no bolso e voltou a anotar uma dobradinha após oito corridas. Hamilton conquistou a 64ª vitória da carreira, a segunda da temporada. 

Max Verstappen dessa vez não se envolveu em confusões. O jovem holandês  conseguiu  levar sua Red Bull ao pódio, na terceira posição. Já Sebastian Vettell terminou num discreto quarto lugar. O melhor começo de campeonato em dez anos para a Ferrari, parece ter descido pelo ralo.

Por fim, resta saber se aquele inicio de campeonato que assistimos, com corridas interessantes e repletas de imprevistos, foram pontos fora da curva, ou se o padrão será esse que assistimos em Barcelona.

10 de maio de 2018

ICÔNICO

Em algum lugar do passado, Graham Hill a bordo da icônica Lotus 49.