6 de abril de 2021

LOW RIDER (2)

 

O glorioso Ivan Capelli,  talvez tenha vivido seu maior momento na F1, no circuito de Paul Ricard, na França.

Uma pitada de história...

Em 1990, a bordo da Leyton House,  o piloto italiano numa estratégia kamike (não trocou pneus), chegou a liderar a corrida. Parecia uma jogada de mestre.

E naquele dia tudo parecia convergir para a vitória da simpática escuderia.

Afinal de contas, logo atrás do italiano, estava seu companheiro de equipe, Mauricio Gugelmin. A possibilidade de uma dobradinha, parecia um sonho possível.   

No entanto, apesar do excelente carro, o  motor Judd não ajudava. Era frágil demais.

Não demorou muito para que o motor do carro de Mauricio Gulgemin, abrisse o bico, a poucas voltas do final. Era um prenúncio do que estava por vir.

Na sequência, a apenas três voltas do final, o motor do carro de Ivan Capelli também começou a apresentar problemas. Ainda assim, o italiano fez de tudo para segurar Prost, mas não teve sucesso. Sem potência, a sonhada vitória ficou pelo caminho.

No fim das contas, Capelli comemorou o segundo lugar como se fosse um título Mundial. Parecia saber que aquele seria seu último pódio na F1.


5 de abril de 2021

UNITED COLORS

Começando a semana por aqui, com o colorido da saudosa escuderia italiana.

Dentro os inúmeros carros guiados por Roberto Pupo Moreno ao longo da sua bela carreira, está a Benetton.

E foi justamente na equipe das cores unidas, onde o piloto brasileiro conquistou seu único pódio na F1, no GP do Japão, em Suzuka. 

Moreno terminou em segundo, logo atrás do seu companheiro de equipe, Nelson Piquet. Foi a primeira dobradinha da Benetton. 

Um pódio que emocionou, diga-se. 

Sempre achei que Moreno não teve a sorte que merecia na F1. Ainda assim, é preciso reconhecer, Roberto Pupo Moreno foi um tremendo batalhador.

31 de março de 2021

RAPIDINHAS

O time rubrotaurino planeja chegar ainda mais forte, no GP da Emília Romagna, em Imola. A equipe técnica já identificou áreas onde o carro pode ser melhorado, e trabalha intensamente para introduzir atualizações. O objetivo é proporcionar a dupla de pilotos um carro ainda mais rápido e consistente na luta por vitórias em todas as corridas da temporada.

Ainda sobre a próxima etapa, como a Itália decretou lockdown em meados de março e a medida ainda permanecerá válida ainda em abril, a corrida acontecerá com portões fechados.

Após a aposta com o antigo chefe na Renault, Cyril Abiteboul, o sorridente Daniel Ricciardo já tratou de engatar outra com seu novo chefe na McLaren, Zak Brown. Caso consiga um pódio no time inglês, o piloto australiano poderá guiar um carro da Nascar. Mas não será qualquer um. Ricciardo terá a sua disposição simplesmente a máquina usada pela lenda Dale Earnhardt, na temporada de 1984. Wrangler Chevrolet Monte Carlo.

Ainda que restem sete meses até a realização do GP do Brasil, a F1 já trabalha num plano B. Com o atual descontrole da Pandemia no país e o crescente número de mortes e novos casos diários, é muito provável que a etapa seja substituída pelo GP de Sakhir (traçado alternativo do circuito do Bahrein).


LOW RIDER (1)

 

Reeditando as seções neste espaço, vamos de Low Rider.

Durante os treinos livres para o GP da Alemanha (1988), no místico circuito de Hockenheim (o verdadeiro, não esse arremedo atual), a equipe Williams surgiu com uma novidade interessante. 

Os ingleses resolveram aproveitar o período de ensaio, para testar uma asa traseira ultra baixa, no melhor estilo "low rider".

No entanto, a configuração não obteve o resultado esperado, tanto que não foi utilizada durante a corrida.

30 de março de 2021

CIGARRETS (2)

 

O inconfundível fardamento da Camel Honda Lotus 99T, marcou época  na categoria máxima do esporte a motor.

Com a linda pintura amarela, Senna anotou oito pódios ao longo da temporada. Foram duas vitórias: Mônaco e Detroit.

Um dado interessante, ocorrido em 1987. 

O acordo de patrocínio firmado entre a Camel (J.R.Reynolds) e a Lotus foi de US$ 5 milhões por ano. Com bonificações de US$ 30 mil, US$ 20 mil e US$ 10 mil para resultados nas três primeiras posições, e US$ 5 mil por pole position. Senna faturou US$ 165 mil em bônus naquela temporada. 

29 de março de 2021

PITACOS DO DIA SEGUINTE

A soberba da Red Bull custou a vitória a Max Verstappen, ontem em Sakhir.

Após liderar todas as sessões de treinos, o time rubrotaurino imaginou que na corrida não seria diferente, subestimando a performance da Mercedes (leia-se Hamilton) com pneus duros em long runs.

O time das latinhas energéticas acreditou que dependeria apenas de suas próprias forças para retomar a liderança, ao não realizar a parada de Verstappen, logo após o pitstop de Hamilton. A quem diga, que o time também olhava para Bottas, claramente em outra estratégia. Pode até ser. Mas a verdade, é que erraram feio. Bastava apenas fazer o feijão com arroz que Verstappen venceria  a corrida.

No contraponto dessa história toda, estava Lewis Hamilton. O veterano piloto inglês continua guiando o fino. Ainda que seu carro não fosse tão veloz quanto a Red Bull, acompanhou de perto o jovem holandês nas voltas iniciais da prova. 

Na primeira parada fez o chamado UNDERCUT, colocando a pressão sobre Max. 

No segundo pitstop, Hamilton fez toda a diferença ao administrar muito bem o desgaste dos seus pneus. Foram 28 voltas. Mesmo com um carro nitidamente mais lento, soube se defender muito bem dos ataques de Verstappen. 

Acabou superado é verdade. No entanto, o piloto holandês foi afobado e passou justamente onde não era permitido, por fora, na famigerada curva 4. Com um pouco mais de paciência, teria seguramente superado Hamilton com o uso do controverso DRS no retão. Como resultado precisou devolver a posição e sujou os pneus. A duas voltas do final, Hamilton aproveitou a oportunidade apresentada, e seguiu rumo a 96ª vitória. Vitória maiúscula, diga-se.

Por fim, dois destaques da prova de ontem. Sergio Perez e Yuki Tsunonoda. 

O mexicano fez uma belíssima apresentação a bordo da Red Bull. Com problemas na largada, partiu dos boxes e terminou em quinto. Já o pequeno japonês guiou como se veterano fosse. Disputou posições com Raikkonen, Vettel e Alonso, superando um a um. Terminou sua corrida de estreia na categoria num honroso nono lugar.

A temporada não poderia ter começado de forma melhor.

Ao longo do GP, ele enfrentou e ultrapassou três campeões mundiais: Raikkonen, Vettel e Alonso. Quer mais?... - Veja mais em https://www.uol.com.br/esporte/colunas/fabio-seixas/2021/03/29/pilulas-do-dia-seguinte.htm?cmpid=copiaecola
Ao longo do GP, ele enfrentou e ultrapassou três campeões mundiais: Raikkonen, Vettel e Alonso. Quer mais?... - Veja mais em https://www.uol.com.br/esporte/colunas/fabio-seixas/2021/03/29/pilulas-do-dia-seguinte.htm?cmpid=copiaecola
Ao longo do GP, ele enfrentou e ultrapassou três campeões mundiais: Raikkonen, Vettel e Alonso. Quer mais?... - Veja mais em https://www.uol.com.br/esporte/colunas/fabio-seixas/2021/03/29/pilulas-do-dia-seguinte.htm?cmpid=copiaecol

26 de março de 2021

CIGARETTS (1)

Reeditando a série com pinturas tabagistas por aqui, com  Heinz Harald Frentzen, a bordo da Jordan- Benson & Hedges, com seu fardamento que marcou época -1999.
 

PITACOS LIVRES

 

Max Verstappen confirmou a força do time rubro taurino, ao terminar o dia como o mais rápido nas duas sessões de treinos livres. A Red Bull, ao contrário dos anos anteriores, inicia a temporada fazendo frente ao time alemão. 

Apesar de cedo para afirmar, tudo leva a crer que a Mercedes (leia-se Hamilton) não terá vida fácil nessa temporada. O que convenhamos, é uma ótima noticia.

No compilado das quatro melhores marcas do dia temos: Verstappen, Norris, Hamilton e Sainz. Red Bull, McLaren, Mercedes e Ferrari.

Chega a ser surpreendente a ordem das forças nesse inicio de temporada. Mas de novo, ainda é cedo para cravar. Tem sempre aquela história que treino é treino, e jogo é jogo. Vamos esperar para ver como será a classificação e principalmente a corrida, no próximo domingo.

Mas uma coisa é certa. Teremos uma temporada bem interessante pela frente.

Pra fechar, um dado curioso, destacado pelo Fábio Seixas em seu blog. Desde de 2014, quando deu inicio a sua hegemonia que perdura a sete anos, a Mercedes sempre largou na pole na prova de abertura da temporada. Será esse o inicio do fim? A conferir.



Deu Verstappen no primeiro treino livre do Bahrein, deu Verstappen no segundo treino livre do Bahrein. Isso significa que dará Verstappen na pole position, amanhã?... - Veja mais em https://www.uol.com.br/esporte/colunas/fabio-seixas/2021/03/26/verstappen-mostra-que-red-bull-vai-incomodar.htm?cmpid=cop
Deu Verstappen no primeiro treino livre do Bahrein, deu Verstappen no segundo treino livre do Bahrein. Isso significa que dará Verstappen na pole position, amanhã?... - Veja mais em https://www.uol.com.br/esporte/colunas/fabio-seixas/2021/03/26/verstappen-mostra-que-red-bull-vai-incomodar.htm?cmpid=copiaecola