27 de novembro de 2011

Pingos de Interlagos (15)


Que a Red Bull fez marmelada não resta dúvida. Mas e dai? Não havia mais nada em disputa. Não há porque condená-los. E outra, não fosse assim, Webber passaria o ano sem vencer, e com uma máquina dessas na mão seria vergonhoso - e pensar que tem gente que acredita nesse sujeito.

Para ficar devidamente registrado, essa foi apenas a sétima vitória na carreira do Canguru, a segunda no Brasil. Desde 2010,  só a Red Bull vence em Interlagos. Essa também foi a 12ª vitória dos rubrotaurinos na temporada.

A corrida teve alguma movimentação e tal, mas esteve longe de ser uma Brastemp. Para nós brazucas, ver a corrida em Interlagos,mesmo que chocha é sempre interessante - o circuito exala história.

Mas na verdade, o que valeu mesmo, foi ver o Nelsão feliz da vida andando com sua Brabham BT49 pelo circuito paulistano - valeu o ingresso.

De resto, a tal chuva prometida não deu as caras em Interlagos. E sem ela, maiores emoções ficaram pelo caminho. Outra coisa que não deu certo, foi a zona de ultrapassagem na reta oposta. Dessa vez o locutor da Vênus Platinada deu uma dentro, ao afirmar que não funcionaria - é curta demais.

A participação dos brasileiros na prova desse ano foi melancólica. Rubens Barrichello e Bruno Senna até chegaram a esboçar um brilho, com a bela classificação no sábado. Mas no fim das contas ficou aquela sensação de morrer na praia...

O primeiro-sobrinho se envolveu num incidente com Michael Schumacher quando defendia a nona colocação.  Acabou punido pelos comissários com uma passagem extra pelos boxes. Punição exagerada, diga-se. Nenhum dos dois pilotos merecia ser punido - coisa de corrida.  Pra piorar, algumas voltas depois, Senninha perdeu a quarta marcha - dai a casa caiu de vez...acabou em 17º.

Já o glorioso Rubens Gonçalves Barrichello foi na onda do Gnomo da Williams que afirmava que iria chover na corrida. (Será que o mesmo que aprontou aquela presepada em Monaco em 1996, se não me engano)
Com essa "preciosa" informação em mãos, Gonçalves optou por uma relação de marcha com a primeira mais longa. Como não choveu, entrou pelo cano. Na largada perdeu oito posições, despencando para a profundezas do grid...na sequencia tentou reagir, mas com aquele motor de geladeira não dá. Terminou em 14º.

Felipe Massa, largou em sétimo e chegou em quinto, em mais uma daquelas suas corridas mornas.O brasileiro mais uma vez realizou um temporada muito fraca pelo carro que teve nas mãos. Basta observar o que fez Alonso com um equipamento parecido...

 E assim, o Brasil fecha o ano sem pódio. Fato esse, que não acontecia desde 1998.

6 comentários:

Marcos Antônio disse...

só não precisava fazer aquela encenação. deixava nas claras mesmo... enfim, agora vamos sofrer de saudades de F1 até Março.

Por Dentro dos Boxes disse...

Marcelono,

esse aí e o "pulo do canguru"???

e fim da temporada ... vamos ficar na saudade até começar tudo de novo ano que vem

abs...

Marcelonso disse...

É galera o pulo do canguru que tava guardado há séculos...

TW disse...

Marcelonso,

pelo terceiro ano seguido a Red Bul, vence por lá e com sobras. É sua segunda casa.

Corrida mais que morna, esperava bem mais desse GP, apesar de não valer nada.

Lamentável a participação dos brasileiros. Se Rubinho não conseguir equipe, pelo menos vai poder dizer que em sua última corrida terminou, com uma Williams, a frente de Schumacher, com uma Mercedes. Só isso mesmo pra ele comemorar.

Felipe tem que esquecer essa temporada, esfriar a mente nas férias de inverno e vir forte ano que vem.

abs

Ron Groo disse...

Bem, como disse lá no blog: corrida chata como seu vencedor.

Net Esportes disse...

Um absrudo questionar o fato .... não tem problema nenhum ajudar o companheiro na última corrida ... mesmo que não fosse nem pelo terceiro lugar, que fosse caridade para o australiano ganhar uma única vez no ano ..... e logo a Ferrari atacar é que é mais absurdo ... logo quem !!!!!!